Futuro parque de lazer continua envolto em polêmicas

Por Clovis Vieira
[email protected]

A praça Prefeito Gastão Cardoso Michelazzo, antigo Pátio Centralizador de Serviços da Prefeitura, coleciona uma série de frustrações no que diz respeito ao cumprimento das indicações do Plano Diretor para aquele local. “Esta área como parque foi se consolidando com o tempo”, informou a arquiteta Paula Magalhães, integrante do Movimento Parque Vivo. “Há uma demanda da cidade de São João por novas áreas verdes e de lazer, o que está escrito no relatório de Análise Intraurbana, que é diagnóstico para elaboração do Plano Diretor”.

Abandono: Área de Preservação Permanente (APP) está completam ente tomada pelo matagal (Clovis Vieira/O MUNICIPIO)

O Movimento Parque Vivo surgiu em abril de 2021, e foi criado em prol da manutenção da área do antigo pátio de serviços como Parque Municipal, para garantir a preservação ambiental do local e sua função social como área de lazer para a população de São João. “O motivo é o risco iminente criado pela atual administração municipal, que veiculou notícias em jornal local com intenção de vender a área e, agora, de transformá-la em outro uso, que pode comprometer sua função ambiental, social e paisagística”. Segundo informam os integrantes, há no local uma importante nascente d’água, que teria sido aterrada pela atual gestão.

Em 31 de maio de 2022, o grupo protocolou carta solicitando reunião com a prefeita Maria Teresinha de Jesus Pedrosa (PL) para falar sobre o parque. Após três meses sem resposta, o Movimento Parque Vivo utilizou a Tribuna da Câmara Municipal, em 29 de agosto daquele ano, para saber se haveria mesmo a reunião solicitada. “Presente no dia na reunião [sessão] da Câmara, a prefeita disse que estudos ainda estavam sendo feitos na área e que qualquer notícia veiculada sobre algum projeto em andamento seria fake news”, acrescentou a arquiteta.

Outro requerimento foi enviado à Prefeitura, desta vez solicitando o uso dessa área para o evento ‘1º Piquenique no Parque’, que seria realizado em 4 de novembro de 2022.

Segundo Luís Antonio Pradella, à frente dessa iniciativa, o piquenique contaria com atividades lúdicas, culturais, esportivas, ambientais e educacionais. A autorização foi sendo postergada por inúmeras burocracias e o evento não ocorreu. No entanto, há sempre a instalação de circos naquele parque e no dia 26 de outubro, o local foi cedido a uma concessionária de veículos para a realização de um feirão, surpreendendo e frustrando os integrantes do Movimento Parque Vivo.

ENQUANTO ISSO

O Instituto Planeta Plantar convida a população para mais uma ação ecológica: o 18º Mutirão de Plantio, que acontecerá no sábado (11), às 8h, no Sítio Dona Paulista,  localizado no km 14 da Estrada da Serra da Paulista. De acordo com o presidente do Instituto, Marcos Parolim, serão plantadas mais de 500 árvores de 40 espécies nativas “Algumas ameaçadas de extinção como o Jequitibá Rosa e a Araucária”, alertou.

Parolim acrescentou, ainda, que todas as mudas foram cultivadas no Planeta Plantar e doadas para este evento. Para a realização do 18º Mutirão de Plantio, alguns parceiros foram importantes para esta ação: Grupo de Escoteiros Curupira, Grupo Ha’Evete de São Paulo, Camping do Paiol, Energy Source e Bikers da Mogiana. “Quem quiser participar é só se inscrever pelo número 19 97126-3345” finalizou.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ai eleitores, repensem seu volto! Olhe pra trás e veja o que essa administração ineficiente deixou pra trás, os anseios e promessas que foram largados pra trás. O que mais essa administração faz é simplesmente ignorar qualquer questionamento, basta se basear nas reportagens deste jornal. Questiona-se e a prefeitura nem responde a reportagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here