Taxista vive horas de terror durante assalto em São João

Por Bruno Manson
[email protected]

A Polícia Civil busca o paradeiro dos suspeitos de assaltarem um taxista na manhã de segunda-feira (27), em São João da Boa Vista. A vítima foi rendida por dois rapazes e, após horas sob ameaças, acabou sendo libertada em Campestre (MG). Seu veículo – um automóvel Fiat Siena – foi localizado no mesmo dia. Os ladrões já foram identificados.

Polícia Civil: investigações prosseguem na tentativa de encontrar novas pistas e capturar os envolvidos no assalto (Reprodução/Google Street View)

Conforme apurado, a dupla se passou por passageiros e, por volta das 6h30, contratou o motorista para fazer uma corrida até o terminal rodoviário. Durante o trajeto, os rapazes anunciaram o assalto e o renderam.

Na ocasião, um dos criminosos assumiu a direção do carro e seguiu rumo a Minas Gerais. De acordo com informações da Polícia Civil, o taxista era ameaçado a todo momento, mas não chegou a ser agredido. Na ocasião, ele foi forçado a ligar para a esposa por meio de seu celular e pedir um ‘resgate’ no valor de R$ 3.000. Assustada, a mulher procurou o Plantão Policial e uma investigação foi iniciada para tentar localizar a vítima e identificar os autores do crime.

DILIGÊNCIAS

Sob o comando do delegado Jorge Mazzi, a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) fez um minucioso trabalho de levantamento de dados e descobriu que a vítima havia sido levada para Campestre (MG). A Polícia Civil local foi contatada e informada sobre o crime em andamento. Em meio as diligências, o motorista foi liberado pelos assaltantes e seu veículo localizado.

IDENTIFICAÇÃO

A equipe da DIG foi até a cidade mineira para averiguar o caso e obter mais informações sobre os criminosos. Durante a apuração, os investigadores descobriram que dois indivíduos haviam fugido de uma clínica de reabilitação e ambos teriam as mesmas características fornecidas pelo taxista. Além disso, um dos suspeitos possuía residência em Alfenas (MG). Por meio do levantamento de dados feito pela Polícia Civil foi possível apurar que os assaltantes haviam tomado trajeto para este município. Paralelamente a tudo isso, constatou-se ainda que o celular subtraído da vítima teve uma linha telefônica inserida em nome de um dos ladrões, logo após o crime.

BUSCAS

Com a identificação da dupla, a equipe da DIG foi até Alfenas e realizou uma série de diligências. No entanto, até o momento, não foi possível localizar os criminosos. Diante de tais fatos, Mazzi já representou pelas prisões temporárias dos suspeitos e as investigações prosseguem na tentativa de capturá-los.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here