Sanjoanense lança ‘Lucina’, obra romanceada de bisavó dele

Por Clovis Vieira
[email protected]

O sanjoanense Acácio Vaz de Lima Filho, mestre e doutor em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), entre outros títulos, lança o seu mais recente livro: ‘Lucina’. “Trata-se de uma biografia romanceada da minha bisavó, Lucina Raposo de Vasconcellos, que se casou em Portugal com Felipe Cabral de Vasconcellos, que era seu primo”, informou o autor. Com pouco mais de 20 anos de idade, ela veio para o Brasil, fixando-se na Fazenda Dourado, em São João da Boa Vista, onde criou sua família.

Livro: ‘Lucina’ é o mais recente título escrito por Acácio (Divulgação/Arquivo Pessoal)

ORIGINAIS

Os originais do livro tiveram início com a professora Ilka Ferreira de Lima, mãe de Acácio, como uma homenagem à avó dela. Porém, o manuscrito da obra ficou inacabado, cabendo a ele finalizá-lo. “Minha mãe não terminou o livro porque não teve tempo, infelizmente. Ela faleceu relativamente moça; minha avó guardou esses escritos, aos quais eu tive acesso, e o terminei”. O primeiro movimento foi ‘passar a limpo’ no computador tudo o que a mãe dele já tinha datilografado. Em seguida, uma revisão teve lugar e o livro foi sendo escrito.

Com o texto pronto, o passo seguinte foi conseguir fotografias da família que pudessem ilustrar aquele conteúdo. Por fim, a neta de Lucina, Isaura Teixeira de Vasconcellos, patrocinou a impressão dos 100 únicos exemplares da obra. “O problema é que essa quantia de livros se esgotou muito rapidamente e, agora, nós estamos trabalhando numa segunda edição, revisada e mais completa historicamente, até com mais fotos”.

PERSONALIDADE

Importante ressaltar que o conteúdo de ‘Lucina’ chamou a atenção da professora titular de História Econômica da Pontifícia Universidade Católica (PUC), Arlete de Assunção Monteiro, que está preparando uma resenha deste livro. “E nós estamos providenciando para, eventualmente, tirar desta obra um filme ou uma série televisiva”, revela Acácio. Por que todo esse interesse na personagem principal da obra?

“Essa minha bisavó foi mulher de negócios numa época em que à mulher somente cabiam atividades domésticas! Ele ficou viúva, com filhos ainda pequenos, se casou novamente, desta vez com o coronel Raimundo Neves de Carvalho, objetivando formar uma fazenda, a Fazenda Matão”. Em 1918, morre o seu segundo marido e Lucina enfrenta a crise de 1929, que afetou diretamente os cafeicultores.

Mesmo assim, ela manteve sua fazenda. Em momento mais difícil, ela escreve ao então presidente Getúlio Vargas expondo sua crítica situação financeira. “Getúlio respondeu a ela! Em seguida, veio o reajustamento da cafeicultura e ela conseguiu sanar as dívidas”. Professor Alfredo Soares Cabral Jr, da Faculdade de Medicina de Santo Amaro, primo de Acácio, observou que Lucina foi, em seu tempo, uma grande conservacionista.

Essa afirmação se refere à manutenção de uma reserva de mata de 120 alqueires, da Fazenda Matão, com guardas preservando a caça e impedindo que esse local tivesse sua fauna  abatida. “Considero que, em sua época, foi uma mulher extraordinária, diferente das demais que não entendiam de negócios, tendo de ultrapassar preconceitos”. Ele a classifica como uma ‘conservacionista europeia’, porque permita a caça esportiva naquele espaço, mas procurando preservar o que fosse necessário para o futuro.

MULHERES

Questionado se sua bisavó, atravessando os percalços que enfrentou, poderia ver vista como um exemplo de força, de luta e de perseverança para as mulheres de hoje, Acácio aponta: “Sim, sem dúvida! Eu penso que a vida de dona Lucina Raposo de Vasconcellos demonstra que toda mulher pode ter uma vida familiar plena e, ainda, ser mulher de negócios… não há contradição nessa dualidade, não há um choque entre essas duas condições. Ela enfrentou, com certeza, o forte machismo que havia na época”.

Um dos pontos do livro que pode interessar ao leitor é a quantidade de personagens nele citados, que são conhecidos do sanjoanense por estarem nomeando muitas ruas do município. “Eu devo essa empreitada à memória de minha mãe, que tinha preservado o que minha avó tinha escrito; eu disse ‘vamos pra frente com isso aqui!’”. A expectativa de Acácio Vaz de Lima Filho é que o livro desperte o interesse do leitor pela segunda edição que está sendo preparada, projeto que vem sendo requerido a ele. Isso pode ser feito através de encomenda pelo e-mail: [email protected].

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here