Construtor pede ajuda para esvaziar fossa em sítio

Por Marcelo Gregório
[email protected]

Arrendatário de um sítio na região da Fazenda Glória, em São João da Boa Vista, o pedreiro Anderson Feliciano Pires pediu, há mais de 60 dias, que a Prefeitura o ajudasse a esvaziar uma fossa existente no quintal da casa onde ele reside com a família, na zona rural. Todavia, a resposta emitida pela administração municipal, no momento em que Pires se dirigiu ao Pátio Centralizador de Serviços, teria sido desanimadora.

Problema: pedreiro espera por ajuda para esvaziamento de fossa há mais de dois meses (Marcelo Gregório/O MUNICIPIO)

CAMINHÃO ‘QUEBRADO

“Faz dois meses que a gente foi lá na Prefeitura. Eles falaram que o caminhão estava quebrado e eles não tinham prazo para fazer a retirada do dejeto. Poderia ser amanhã ou daqui a um ano”, afirmou cabisbaixo o morador.   Com base nos relatos de Pires, a reportagem do O MUNICIPIO entrou em contato com o Executivo sanjoanense e solicitou um posicionamento acerca de qual pasta seria a responsável por esvaziar fossas na zona rural do município, bem como se procedia a denúncia de que o caminhão não estaria em condições de fazer a tarefa em decorrência de estar supostamente ‘quebrado’, porém, mais uma vez, a Prefeitura não respondeu aos questionamentos.

RISCOS DE CONTAMINAÇÃO

Pires mora no sítio, distante cinco quilômetros da zona urbana, mas atua no ramo da construção civil como responsável pela AG Construtora, onde é uma espécie de ‘faz de tudo’: pedreiro, pintor, eletricista e encanador. Paralelo à atividade, ele mantém a criação de porcos, galinhas, vacas e bois, além de possuir cães.

Na casa, o pedreiro vive com a esposa, dois filhos, o pai e mais um tio. Os moradores temem que o extravasamento da fossa cause prejuízos à saúde da família e dos animais. No dia em que foi buscar ajuda da Prefeitura, ele disse à reportagem que teria sido orientado a construir uma fossa mais moderna para evitar transtornos. “A gente está com esse problema e não consegue resolver. [O maior risco é] a contaminação [porque] tenho os animais aqui, tenho criança e daqui a pouco [vai] fazer mal para a minha família. [É preciso] solucionar o problema meu”, pediu Pires.

PEDIDO AO LEGISLATIVO

O assunto das fossas na zona rural chegou à Câmara Municipal. Na sessão da segunda-feira (30), o vereador Junior da Van (PSD) apresentou o problema no plenário da Casa de Leis. “Fui procurado por várias pessoas da zona rural, chácaras, sítios, [que] estão tendo problemas com fossas. Me procuraram falando que a fossa está cheia, vazando. [Eles] têm ligado na Prefeitura, tem pedido [que] faz seis, sete meses, e, infelizmente, a nossa Prefeitura não está fazendo essa limpeza”, expôs o vereador.

A resposta que a administração municipal teria fornecido ao morador do sítio, alegando que o veículo utilizado para esvaziar as fossas estaria em condições precárias e sem previsão de conserto, provocou indignação. “Aí envolve saúde, prestação de serviços. Não dá para aceitar. Caminhão da Prefeitura está quebrado desde fevereiro. Gostaria que o departamento [responsável] tomasse providências e respondesse se é verdade ou não”, concluiu Junior.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here