Papa Francisco recebe dom Vilar no Vaticano

O papa Francisco recebeu o bispo diocesano dom Antonio Vilar (SDB) na última quarta-feira (21), após Audiência Geral no Vaticano. O bispo esteve em Roma, na Itália, entre os dias 18 e 23 de março, acompanhado pelo monsenhor Orlando Panacci e pelo padre Anderson Godói. A viagem foi agendada em razão de diversos compromissos oficiais, que começaram no dia 19, com uma visita à casa geral dos Salesianos de Dom Bosco, congregação da qual o bispo da Diocese de São João da Boa Vista faz parte.
Ainda no dia 19, na Basílica de São Pedro, dom Vilar concelebrou com o papa Francisco, a Missa de ordenação episcopal de três novos núncios: monsenhor Waldemar Stanisław Sommertag, núncio na Nicarágua; monsenhor Alfred Xuereb, núncio apostólico na Coreia e Mongólia e o monsenhor José Avelino Bettencourt, núncio na Armênia e Georgia. O papa sublinhou que o bispo tem uma missão ‘para o bem dos homens nas coisas que se referem a Deus’ e acrescentou: “Não para os negócios, para a política, ou para outras coisas”.

PADRE DONIZETTI
No dia 20, em companhia do postulador da causa do padre Donizetti Tavares de Lima, Paulo Vilota, a comitiva da diocese teve um encontro com o cardeal Ângelo Amato, prefeito da Sagrada Congregação para a causa dos santos. O cardeal mostrou que o processo do padre Donizetti está ágil. “Ele é um grande admirador do padre Donizetti e o considera um forte exemplo de padre diocesano, de testemunho do evangelho e de doação de sua vida pelo povo sofrido. Quanto aos prazos para a beatificação, o milagre requerido já passou pelos médicos e agora já vai passar pelos cardeais”, explicou dom Vilar. Padre Donizetti, que exerceu suas funções em Tambaú (SP) e ganhou reconhecimento popular dos católicos por suas intercessões milagrosas, já é considerado venerável pela Igreja.
Na quarta, o grupo participou da Audiência Geral com o papa Francisco que, antes de sua catequese sobre a Eucaristia, lembrou que aquele era o primeiro dia da Primavera. “Ele usou o símbolo das plantas que florescem se bem regadas, se unidas à raiz. Assim, convidou a regar a vida pela oração e os sacramentos, para que a Páscoa cristã seja florida de boas obras, virtudes, gestos de bem para os outros. E disse: ‘Nunca cortemos as raízes com Jesus’”, relembrou dom Vilar, que retornou ao Brasil no dia 23.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here