Projeto de alça viária às margens da SP-342 estaciona na Procuradoria Geral do Estado

Filas: motoristas aguardam no acostamento para cruzar SP-342 (Pedro Souza/O MUNICIPIO)

Motoristas que trafegam pela rodovia Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros SP-342, nas imediações do campus São João da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e alguns bairros da zona sul, ainda terão de aguardar pela construção da alça viária. Isso porque o projeto, aprovado pelo governo do Estado e Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), encontra-se, neste momento, sob análise da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Enquanto aguarda a decisão da PGE, a Prefeitura de São João comunica que trabalha no prolongamento da avenida Isette Corrêa Fontão, passando pelo campus da Unesp e áreas dos futuros empreendimentos do Spani Atacadista e DOM Hotel, em direção ao Jardim São Nicolau. “Esta alternativa de acesso evitará que motoristas utilizem a rodovia”, informou.

FILAS
Em meio à espera por uma decisão da Procuradoria Geral do Estado, condutores e moradores da região têm enfrentado fila para acessar a Isette Fontão em horários de pico, segundo a reportagem do O MUNICIPIO acompanhou na tarde desta quinta-feira (25).

No acostamento da SP-342, no sentido Pinhal, havia fila de veículos para adentrar à avenida. Segundo apurado, não fossem as lombadas nos dois sentidos da pista, eles teriam maior dificuldade para cruzar a rodovia e acessar a Isette e também estariam mais sujeitos a acidentes no local.

Felipe Garcia, barbeiro, mora no Parque dos Resedás 3 e percorre àquela região de carro quase todos os dias. “Aquele cruzamento é bem perigoso, principalmente no horário de pico. Quase todo dia fica uma fila imensa e muitos motoristas e motociclistas não respeitam, muitos nem seta dão. O risco de um acidente é eminente, ali poderia ser melhor sinalizado, pois do jeito que está é muito bagunçado”, comentou.

Horário de pico: longa fila forma-se ao longo do acostamento no sentido São João/Pinhal (Pedro Souza/O MUNICIPIO)

PROJETO
Estudado desde 2013 pela Prefeitura, quando o campus da Unesp foi inaugurado, o projeto sempre esbarrou em empecilhos. Um deles era a desapropriação das áreas às margens da rodovia, questão resolvida em novembro de 2017, com publicação no Diário Oficial pelo Governo do Estado de São Paulo.

Na publicação, o Governo declarou de Utilidade Pública, para fins de desapropriação pela Renovias Concessionária, os imóveis necessários às obras de implantação do Dispositivo de Retorno e Acesso à Unesp, no km 225 da SP-342. Assim como aponta o decreto, 11 áreas, às margens da rodovia SP-342, foram declaradas de Utilidade Pública.

Oito meses depois, em agosto de 2018, a Prefeitura firmou acordo com a Sabesp para o remanejamento de mais de mil metros de adutoras localizadas às margens da SP-342, o que também impedia a implantação da alça viária.

Assim que finalizada, a alça possibilitará acesso não só ao campus da Unesp, mas também à região da avenida Izette Fontão e à interligação de 13 bairros na região do Jardim Ipê e do Parque dos Resedás.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here