Mãe vive drama para conseguir vaga em creche

A operadora de caixa Beatriz Ribeiro Consentino, 27, moradora do Recanto do Jaguari, em São João da Boa Vista, é mãe de dois filhos – a menina Maria Eduarda, 7, e o bebê Arthur, que está prestes a completar 4 meses de vida. Beatriz precisa retornar ao trabalho, mas não consegue uma vaga para o filho mais novo, na creche da Emeb (Escola Municipal de Ensino Básico) Gastão Cardoso Michelazzo, na rua Tabapuã, distante aproximadamente uma quadra da residência dela.

Por meio do canal ‘Repórter de Bairro, criado pelo O MUNICIPIO, a mulher encaminhou mensagem à reportagem e relatou que por várias vezes telefonou ao Departamento Municipal de Educação solicitando a vaga. Todavia, sempre seria informada para aguardar porque só teria o filho na fila de espera.

Drama: Beatriz Consentino retorna ao trabalho em 27 de agosto e não tem com quem deixar o bebê Arthur, que completa 4 meses de vida nesta sexta (10) (Foto: Ignácio Garcia/O MUNICIPIO)

“Não posso esperar porque volto a trabalhar no dia 27 de agosto e não tenho com quem deixá-lo. E o nosso trabalho [dela e do marido] é o único meio de sustento dos nossos filhos; temos outra filha, de 7 anos”, reclamou.

Em resposta, a Prefeitura de São João informou que “todas as crianças matriculadas nas creches na rede municipal tem que ter, no mínimo, 4 meses de vida completos, o que não acontece no caso de Arthur, pois pelo cadastro, ele completa os 4 meses no dia em 10 de agosto [neste sexta-feira]. Portanto, a partir daí, podemos oferecer a vaga solicitada neste setor”.

Confira a matéria completa na edição impressa do Jornal O MUNICIPIO deste sábado (11).

Reportagem: Ignácio Garcia

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here