Duas empresas de São João serão instaladas no Distrito Industrial

Duas empresas sanjoanenses foram beneficiadas com terrenos no Distrito Industrial e têm prazo de seis meses para iniciarem as obras de construção dos galpões na área industrial. Juntas, Gênova Indústria e Comércio de Balanças e a P&G Representações Industriais devem gerar 22 novas oportunidades de empregos na cidade.

Os contratos que permitem a administração municipal doar as áreas foram assinados com o prefeito Vanderlei Borges de Carvalho (MDB), no Salão Nobre do Executivo, na manhã desta quinta-feira (9).

Segundo o prefeito, as empresas têm grande importância social porque geram emprego, principal objetivo da Prefeitura de São João. “São duas empresas de pequeno porte que vão construir de imediato e gerar mais empregos”, disse.

Amélia Queiroz, assessora de Desenvolvimento Econômico da prefeitura, estima que, hoje, existam entre 70 e 80 empresas instaladas no Distrito Industrial. “Então, o nosso trabalho é de fomentar, apoiar e captar novos projetos para a cidade”, afirmou.

Desenvolvimento: proprietários das duas empresas, o prefeito Vanderlei Borges de Carvalho (MDB) e outros representantes do Executivo e da Câmara estiveram na assinatura dos contratos (Foto: Divulgação/Prefeitura de São João)

A Gênova Indústria e Comércio de Balanças e Instalação de Máquinas e Equipamentos, de propriedade do empresário Celso Monteiro de Gênova, será instalada numa área de 3.160 m².

“É um sonho nosso ter uma área no Distrito para poder ampliar a empresa e trazer mais empregos para a cidade. A gente está muito feliz e otimista”, comemorou Gênova.

A P&G Serviços e Representações Industriais, especializada no ramo de instalação, manutenção e reparação de máquinas e equipamentos industriais, é dirigida pelo empresário Rafael Gussoni. O empreendimento ocupará terreno de 11.005 m².

“Representa um passo muito grande porque, hoje, nós trabalhamos com a terceirização do que nós produzimos. Em médio prazo, quando a implantação da empresa estiver feita, vamos poder, em vez de terceirizar o serviço para outras cidades, fabricar os equipamentos aqui”, explicou Gussoni.

Segundo a prefeitura, os empresários somente irão receber a escritura definitiva assim que os galpões estiverem concluídos, no prazo de dois anos, e de acordo com as regras do contrato.

O ato de assinatura ainda reuniu o vereador João Luís Moretto, representando a Câmara Municipal; e Maurício Marsiglia, vice-presidente do CMD (Conselho Municipal de Desenvolvimento).

Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here