Grupo internacional fará usina de lixo em São João

O grupo Mitima, formado por empreendedores brasileiros e italianos com empresas parceiras da Escócia, Canadá e da Itália, acaba de conseguir a licença prévia da Cetesb (Companhia Ambiental dos Estado de São Paulo) para implantar em São João da Boa Vista uma usina de recuperação de energia.

O empreendimento, que prevê investir R$ 120 milhões apenas na planta sanjoanense, transforma o lixo em energia e será, segundo os responsáveis, a primeira usina do Brasil a realizar este processo.

A área escolhida para a instalação da usina é próxima ao aterro sanitário desativado, localizada na região rural conhecida como Capituva. O contrato de arrendamento refere-se a uma área de 62.500 m², para um período de 20 anos, com renovação automática por mais 20.

De acordo com os responsáveis pela empresa no Brasil serão gerados 350 empregos na construção da planta e 50 na operação. A previsão dos investidores é que em 14 meses após liberada a licença de instalação (LI) a usina esteja pronta e em funcionamento. O MUNICIPIO apurou que a Mitima acredita que a LI saia até dezembro deste ano. Ou seja, em 2019 o empreendimento seria construído e em 2020 já estaria em operação.

A usina de recuperação em São João terá capacidade para tratar 150 toneladas por dia de lixo urbano e vai gerar cerca de 5MW/h de energia elétrica.

E o grupo internacional tem planos ambiciosos: pretende implantar 200 usinas no Brasil, sendo que a sede nacional da Mitima será São João da Boa Vista.

O MUNICIPIO também obteve informações de que outras cidades do país concorriam com São João para ser sede da empresa e que a atuação do prefeito Vanderlei Borges de Carvalho e do presidente da Câmara, Gerson Araújo, foi decisiva para que o grupo escolhesse o município.

Com isso, São João terá o projeto modelo e passará a receber interessados do Brasil inteiro para conhecer a tecnologia. Além disso, informações preliminares apontam que São João, que hoje gasta cerca de R$ 5 milhões por ano com o transporte e local para depositar o seu lixo, passará a ter lucro com o ICMS revertido aos cofres públicos com a energia gerada.

FUNCIONAMENTO

O projeto, de uma forma simplificada, produz gás a partir de resíduos sólidos e a utilização deste gás, após o tratamento adequado, produz energia elétrica a partir da energia térmica.

A tecnologia utilizada é a de gaseificação em leito fixo, desenvolvida e patenteada pela Mitima, sendo que o investidor possui exclusividade para utilizá-la no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here