João Carlos Martins estará em Aguaí com orquestra do Sesi

Aguaí receberá no próximo dia 26, às 20h, a Orquestra Bachiana Filarmônica do Sesi – São Paulo, que tem a regência do conceituado maestro João Carlos Martins. A apresentação acontecerá após longo trabalho realizado pela Prefeitura Municipal, uma vez que a participação é muito concorrida entre as cidades. “Trabalhamos durante muitos meses para que pudéssemos dar esse presente para a nossa população. E conseguimos que ela fosse realizada no mês das mães, mais um presente especial”, destacou o prefeito Alexandre Araújo.

Aguaí terá a oportunidade de assistir gratuitamente um encontro mundialmente conhecido, que promete emocionar o público e os músicos, com interpretações de canções de Beethoven, Bach, Mozart, Adoniran Barbosa, The Beatles, Queen, entre outros.

Com 65 músicos, a Bachiana é a maior orquestra de iniciativa privada do Brasil, sem nunca ter abandonado seus ideais.

A Bachiana Filarmônica fez seu primeiro concerto em 2004 na Sala São Paulo e, depois disso, participa dos mais importantes concertos no Brasil e no exterior. O grupo gravou as Suítes Orquestrais de Bach, que são obras precursoras das grandes sinfonias compostas nos séculos seguintes.

Em 2006, o maestro João Carlos Martins deu início à Orquestra Bachiana Jovem com o objetivo de trabalhar a evolução musical de jovens e realizar apresentações para pessoas que jamais tiveram a oportunidade de assistir a um concerto.

Em 2009 as duas orquestras fundiram-se, formando a Bachiana Filarmônica SESI-São Paulo, composta pelos melhores profissionais brasileiros e jovens que se destacaram na música clássica.

 O MAESTRO

João Carlos Martins ocupa um lugar único no cenário musical brasileiro, tendo sido considerado um dos maiores interpretes de Bach do século XX pela crítica internacional.

Nascido em São Paulo em 1940, iniciou os estudos de piano com 8 anos e aos 18 já era conhecido no exterior. Suas gravações estiveram muitas vezes entre as mais vendidas e em jornais como The New York Times, Washington Post e Los Angeles.

Abandonou definitivamente os palcos como pianista no ano de 2002 por problemas físicos e deu início aos estudos de regência em 2004.

É o único músico brasileiro que teve a vida registrada por cineastas europeus por duas vezes, assistido por mais de 1,5 milhão de pessoas na Europa e vencedor de vários festivais internacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here