Motoristas se queixam dos serviços de Zona Azul

Motoristas que fazem uso da Zona Azul têm se queixado dos serviços oferecidos pela Estapar e reivindicam que a empresa, que administra sistema de estacionamento rotativo em São João, estipule um tempo mínimo de tolerância até que consigam retirar os tíquetes nos parquímetros.

Condutores alegam que frequentemente se deparam com notificações deixadas por agentes da empresa, antes mesmo de retirarem os bilhetes no equipamento e retornarem até os veículos para deixá-los.
O fato, aliado às críticas de mau atendimento prestado pelos funcionários da Estapar, tem se repetido constantemente e deixado motoristas revoltados. Muitos deles, inclusive, relatam o despreparo dos agentes na prestação de serviços.
O barbeiro Danilo Roberto Hilário Ferreira, 23, delata problemas com notificações. “Várias vezes. Em uma delas, eu tinha acabado de estacionar. Foi questão de um minuto. Fui retirar o tíquete, voltei e já estava com notificação. Perguntei para a funcionária e ela, com desrespeito, disse que eu teria que tirar outro tíquete para regularizar ou me dirigir à central”, queixou-se.
“Já aconteceu umas duas vezes comigo. Muitas vezes a gente não tem moeda disponível e tem que tentar trocar uma cédula por moedas. Daí, na hora que a gente volta, já tem a notificação e causa aquele transtorno de ter que procurar uma agente ou ir à central da empresa para regularizar”, reclamou o cobrador de pedágio Marco Antônio da Silva, 58.
Outra situação que tem revoltado os usuários é a obrigatoriedade do Cartão Inteligente, que concede tempo mínimo de 15 minutos, com tarifação de R$ 0,60. Somente podem contar com o serviço os usuários que possuem o dispositivo.
“Praticamente é obrigatório e bastante prejudicial para quem utiliza com frequência e por pouco tempo. E se você não obtém [o cartão], pode ser penalizado por uma regra que eles [empresa] impõem”, completou Silva.
Usuários também contestam o sistema de tarifação. Aquele que utiliza o serviço e possui os valores – em moedas – acima da tarifa afixada no parquímetro está sujeito a ficar sem troco.
A reportagem do O MUNICIPIO questionou a empresa sobre a tolerância mínima, o porquê de não oferecer o benefício do tempo 15 minutos indiscriminadamente aos usuários – sem a obrigatoriedade de possuir o Cartão Inteligente – e a não devolução do troco nos equipamentos.
Em resposta, a Estapar informou que “os usuários já estão acostumados a este método, pois a Zona Azul da Estapar foi implantada na cidade há 18 anos”.
Segundo a empresa, a diferenciação de preços, de acordo com o meio de pagamento, está em conformidade com o decreto municipal e que, além disso, é permitida pela lei 13.455/17. A Estapar informa, ainda, que esta diferenciação é claramente informada na tabela afixada nos parquímetros, como requer a legislação.
Quanto ao troco, “os parquímetros não devolvem, pois ele é convertido em tempo de permanência no estacionamento”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here