Dia Internacional da Mulher é para reflexões

Luiza Nagib Eluf, advogada e escritora

Um assunto que tem estado bastante presente na mídia é o da questão do empoderamento feminino e em como o machismo ainda está presente, mesmo que disfarçadamente.

Luiza Nagib Eluf, advogada e escritora, faz uma análise desta situação, a pedido de O MUNICIPIO.

“As mulheres estão evoluindo muito na sua forma de agir e de pensar. Acredito que as redes sociais tiveram um papel importante no fortalecimento feminino”, pontuou.

Luiza observa também que, se antes as mulheres permaneciam isoladas no lar, onde se sentiam sozinhas e enfraquecidas, hoje, elas formam grupos de amigas sem ter que sair de casa – graças a ajuda desta tecnologia.

“E a união faz a força. As mulheres brasileiras estão bem mais conscientes de seus direitos e caminham para a libertação. É claro que ainda temos uma sociedade machista e violenta, mas o processo de reversão da dominação está em andamento e não vai parar”, concluiu.

 

SITUAÇÃO ATINGE

ATÉ FAMOSAS

O machismo, contudo, não é ‘privilégio’ do Brasil – trata-se de um problema que atinge até sociedades ditas ‘evoluídas’, como os Estados Unidos.

Esta semana, coincidentemente em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, durante a cerimônia de entrega do Oscar, a atriz Frances McDormand, em seu discurso de agradecimento, pediu que todas as mulheres indicadas em alguma categoria ficassem de pé.

“Olhem à sua volta. Todas nós temos histórias para contar e projetos para serem financiados. […] Vamos ser roteiristas de inclusão”, completou Frances em seu discurso.

Meryl Streep, candidata a melhor atriz por “The Post – A Guerra Secreta”, no qual interpreta a editora-chefe do The Washington Post e sofre, no filme, a descrença da sociedade e dos colegas por ser mulher, revelou em entrevista que já participou de diversas reuniões onde era a única do sexo feminino.

“Eu dava uma sugestão e ninguém me ouvia. Depois de alguns instantes, um homem se levantava, dizia o mesmo e todos exclamavam ‘esta é uma grande ideia!’”, comentou Meryl, numa entrevista exibida no programa Fantástico, da rede Globo.

Carrie Fisher, que se imortalizou como a Princesa Leia de Star Wars, também aborda, em seu livro “Memórias da Princesa – Os diários de Carrie Fisher”,  o machismo que permeia a indústria do entretenimento. “[…] É carne masculina, com mulheres salpicadas generosamente nela como tempero”, afirmou a atriz, em um trecho.

 

UNIFEOB REALIZA ATIVIDADES PELO MÊS DAS MULHERES

Na noite desta quinta, 8 de março, o UniFEOB realiza, às 20h, no Theatro Municipal, uma mesa redonda com os professores da instituição e aberto ao público.

Nela, assuntos como o papel da mulher nos últimos 50 anos serão abordados, bem como o contexto histórico, a questão do empoderamento feminino, as leis trabalhistas e a proteção penal.

O coral da UniFEOB também fará apresentação, mas as atividades não se restringem ao Dia Internacional da Mulher e continuam ao longo de todo o mês de março, em parceria com o MEU – Movimento de Empoderamento Universitário.

Assim sendo, no dia 21 de março, no Centro Cultural, ocorre o encontro entre mulheres empreendedoras (em parceria com a ACE – Associação Comercial e Empresarial – e Sebrae), para discutir questões como empreendedorismo cultural, comercial e social.

E para encerrar o mês, no dia 29 de março, a partir das 21h, em frente à biblioteca do campus Mantiqueira, haverá um sarau feminino em homenagens às mulheres, com muita música e poesia. Compareçam!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here